Parentes de vítimas boicotam atos em memória de ataque na Irlanda do Norte

Dublin, 8 ago (EFE) - Os parentes de algumas vítimas do atentado de Omagh anunciaram hoje que boicotarão os atos comemorativos do 10º aniversário do ataque cometido pelo Exército Republicano Irlandês (IRA) Autêntico nessa localidade em 15 de agosto de 1998, no qual morreram 29 pessoas.

EFE |

Há meses, as famílias expressaram o descontentamento com a forma como as autoridades municipais planejavam o evento.

Os parentes das vítimas não concordam com a gestão municipal do polêmico assunto do texto que acompanhará um monumento erguido para a ocasião no lugar da explosão e outro em um "Jardim da Lembrança" próximo.

Uma das legendas propostas falava de "honrar e lembrar as pessoas mortas e centenas de feridos de três nações por um carro-bomba de terroristas dissidentes republicanos", referência esta última ao IRA Autêntico, cisão do IRA que assumiu a autoria do atentado.

Algumas das famílias afirmaram que o Sinn Féin, partido majoritário na Prefeitura de Omagh, se opôs ao texto proposto porque inclui a palavra "terrorista", o qual foi negado pelos republicanos.

No final, uma comissão independente resolveu manter a palavra "terrorista" em uma placa do "Jardim da Lembrança", mas foi eliminada do obelisco construído no local da explosão do carro-bomba. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG