Paraguaios protestam por reforma agrária e mudanças no Judiciário

Assunção, 18 nov (EFE).- Mais de mil membros de grupos camponeses e de organizações civis e sindicais do Paraguai marcharam hoje em Assunção para exigir ao presidente Fernando Lugo uma reforma agrária e mudanças na Procuradoria e no Poder Judiciário.

EFE |

Os integrantes da Frente Patriótica Popular e do Conselho de Resistência Popular fizeram uma marcha no centro da capital e protestos perante as sedes da Procuradoria e do Congresso, similares às realizadas entre 4 e 6 de novembro pela Frente Social e Popular, que também apresentou a Lugo as mesmas exigências.

Ao contrário das manifestações de há duas semanas, na qual quase uma centena de pessoas ficaram feridas durante enfrentamentos com a Polícia, hoje não aconteceram incidentes além dos engarrafamentos em horas de alto tráfego.

Os coordenadores do protesto anunciaram que a medida de força continuará amanhã e que inclui, além disso, bloqueios intermitentes de estradas em pelo menos dez dos 17 departamentos do país.

Os manifestantes exigem julgamento político para os nove ministros da Corte Suprema de Justiça e do procurador-geral, Rubén Candia, acusados de responder aos interesses do governante anterior, Nicanor Duarte.

O protesto da Frente Patriótica Popular e do Conselho de Resistência Popular acontece cinco dias depois da criação da Coordenadoria Executiva para a Reforma Agrária, que busca atender, entre outras coisas, o conflito gerado no campo perante o aumento das ameaças de invasões de fazendas. EFE rg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG