Paraguai pediu aos EUA para reduzir influência do Brasil

Chanceler paraguaia se queixou de programa promovido por Celso Amorim

AFP |

O Paraguai informou em abril de 2005 aos diplomatas americanos em Assunção que o Brasil ampliava seu domínio na região, em detrimento da influência dos Estados Unidos, e pediu providências contra a situação, revelam nesta quinta-feira documentos divulgados pelo site WikiLeaks.

A então chanceler paraguaia, Leila Rachid, disse a diplomatas dos EUA que (o ministro brasileiro das Relações Exteriores) Celso Amorim promovia um programa desenhado para minimizar a influência dos Estados Unidos na América do Sul e afirmar o domínio brasileiro", assinalam os documentos.

"É claro que (o Paraguai) rejeita isto firmemente, porque se traduz por um controle absoluto do Brasil sobre nosso destino", destacou Rachid em um encontro com o representante da diplomacia americana em Assunção, James Cason.

Rachid se queixava da redução das cotas de importação de produtos agrícolas paraguaios por parte do Brasil. A chanceler "transmitiu seu desejo de conversar com o secretário (americano de Estado) sobre suas preocupações com o enfoque do Brasil sobre comércio e política externa; e se queixou da redução das cotas para as exportações paraguaias".

Rachid "se preocupava também com a ambição do Brasil de se tornar a voz de liderança política na região, e pediu aos Estados Unidos para equilibrar a influência brasileira", destacam os documentos.

    Leia tudo sobre: EUAdiplomaciaWikileaksParaguaiBrasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG