Paraguai extradita brasileiros suspeitos de integrar facção criminosa

ASSUNÇÃO - O Paraguai extraditou cinco suspeitos de integrarem uma facção criminosa paulista, supostamente o Primeiro Comando da Capital (PCC), detidos ontem em uma fazenda do departamento (estado) de Amambay, na fronteira com o Mato Grosso do Sul.

Redação com agências internacionais |

A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai entregou Arnaldo Lobo Viana de Rezende, Jorge Luis Gómez Duarte, Leandro Reis do Nascimento, Olavo Cavalcante da Silva e de Wanderlei José do Nascimento à Polícia Federal brasileira.

A expulsão dos suspeitos cumpriu ordem assinada pelo juiz Luis Benítez, informou a Senad, detalhando que eles eram requeridos pela Justiça brasileira por vários crimes.

Os brasileiros foram detidos durante uma operação realizada pela Senad na fazenda Jericó, do distrito de Colina Coraí, em Amambay, a 530 quilômetros ao nordeste de Assunção e contígua ao Mato Grosso do Sul.

A detenção aconteceu semanas depois da prisão na Bolívia de Carlos Antonio Caballero, conhecido como "Capilo", que, segundo a Senad seria substituído no posto por Wanderlei José do Nascimento, genro dele.

De acordo com as autoridades paraguaias, nas regiões fronteiriças de Amambay e Canindeyú operam contrabandistas e narcotraficantes que controlam os cultivos de maconha e o tráfico de cocaína.

A detenção dos brasileiros aconteceu no mesmo dia do encontro, no departamento de São Pedro, vizinho a Amambay, dos corpos de três pessoas assassinadas, entre eles o de um boliviano.

O triplo homicídio foi atribuído pelos investigadores a atos de vingança entre grupos de traficantes de maconha que operam nessa região.

Com informações da AFP e da EFE

    Leia tudo sobre: paraguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG