Montevidéu, 17 mar (EFE).- O ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Alejandro Hamed, destacou hoje em Montevidéu as estratégias do país para impulsionar a integração tarifária e energética no Mercosul neste primeiro semestre de 2009.

Durante a 16ª sessão plenária do Parlasul, o Parlamento do bloco, Hamed defendeu a "eliminação da dupla cobrança da Tarifa Externa Comum e a distribuição da renda aduaneira" entre os países do bloco, integrado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, e ao qual a Venezuela está em processo de adesão plena.

Para o chanceler paraguaio, essas medidas terão "grande impacto para consolidar a união aduaneira e, para o Paraguai, este tema tem direta incidência sobre seu desenvolvimento".

O ministro também se referiu a "assuntos pendentes", como a criação de um código alfandegário comum e a interconexão digital entre as alfândegas.

Além disso, Hamed afirmou que o Paraguai pretende "impulsionar decididamente uma integração energética" e, para isso, apoiará "as tarefas que lhe foram encomendadas para a elaboração de um Programa de Cooperação Sul-Sul".

O diplomata também defendeu impedir que "as preocupações políticas no continente e em um mundo carregado de incertezas e instabilidades" afetem o processo de integração.

O Paraguai ocupa a Presidência temporária do Mercosul durante o primeiro semestre deste ano. EFE lh/bba/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.