Paraguai confirma adiamento da reunião de cúpula do Mercosul

ASSUNÇÃO (Reuters) - O Paraguai confirmou nesta terça-feira o adiamento em três semanas da reunião presidencial do Mercosul, depois de ter aceitado a proposta por novas datas feita pelos governos de Brasil, Argentina e Uruguai. O encontro agora será em 23 e 24 de julho. O ministro do Exterior paraguaio, Héctor Lacognata, havia adiantado na semana passada que a reunião de cúpula poderia ser adiada por problemas de agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, eleições legislativas na Argentina e prévias partidárias no Uruguai.

Reuters |

O encontro estava inicialmente marcado para os dias 3 e 4 de julho.

"O Ministério do Exterior informa que recebeu hoje oficialmente o comunicado pelo qual Argentina, Brasil e Uruguai propõem a mudança de datas", disse um comunicado do ministério paraguaio.

"A Presidência paraguaia temporária do Mercosul aceitou as datas propostas", acrescentou.

A Argentina terá eleições legislativas no domingo, 28 de junho, mesmo dia em que o Uruguai terá prévias partidárias.

Espera-se que à reunião do Mercosul compareçam os presidentes dos quatro países e da Venezuela, em processo de adesão ao bloco. Também se aguarda os presidentes dos associados Bolívia e Chile.

Depois do encontro, a Presidência do Mercosul passará, até dezembro, para o Uruguai.

(Reportagem Daniela Desantis)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG