Paraguai chega a acordo para vender eletricidade ao Chile

Costa do Sauípe (Brasil), 17 dez (EFE).- O Governo do Paraguai chegou a um acordo com o Chile para vender eletricidade para este país a partir do próximo ano através da Argentina, em reunião paralela à Cúpula da América Latina e do Caribe, realizada na Costa do Sauípe, na Bahia, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Com este acordo, o Paraguai receberá entre US$ 70 milhões e US$ 80 milhões por ano, muito acima dos US$ 3 milhões que recebe por vender ao Brasil seu excedente da parte de energia que lhe corresponde da hidroelétrica de Itaipu.

Isto foi explicado hoje a jornalistas por Ricardo Canese, um dos representantes do Paraguai na mesa de negociações estabelecida para discutir as reivindicações deste país sobre a administração da hidroelétrica.

Segundo Canese, o acordo foi alcançado ontem à noite em reunião em três partes entre os presidentes de Paraguai, Fernando Lugo, Argentina, Cristina Fernández, e Chile, Michelle Bachelet.

Canese afirmou que o Paraguai enviará a eletricidade ao Chile através da Argentina e, portanto, para este último país será pago uma espécie de "pedágio" pela transmissão.

O acordo acontece em meio a discussões entre Paraguai e Brasil sobre a administração de Itaipu.

O Governo de Assunção exige a revisão do Tratado de Itaipu, que estipula que cada país tem direito a 50% da eletricidade gerada e que a energia não usada por alguma das partes deve ser vendida para outro parceiro a preço de custo.

O Paraguai satisfaz 90% de sua demanda com cerca de 5% desta energia e o resto acaba no Brasil.

Além disso, o Governo paraguaio propôs ao Brasil que pague 97% da dívida de cerca de US$ 20 bilhões pela construção de Itaipu.

Todas estas exigências serão discutidas hoje em uma reunião entre Lugo e seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva. EFE mb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG