Assunção, 25 out (EFE) - O Governo do Paraguai anunciou hoje a compra de 22 mil hectares de terrenos para grupos de sem-terra que ameaçam realizar ocupações em massa de fazendas para reivindicar a reforma agrária, inclusive propriedades de brasileiros. O chefe de Gabinete da Presidência, Miguel López Perito, disse em entrevista coletiva que serão adquiridos terrenos para 1.800 famílias no departamento de San Pedro (centro), onde os sem-terra permanecem mobilizados.

As ocupações de fazendas reivindicadas de reforma agrária aumentaram nessa região após a posse do atual presidente do Paraguai, Fernando Lugo, em 15 de agosto.

Alguns dos movimentos sem-terra ameaçaram inclusive expulsar de suas propriedades os brasiguaios, como são conhecidos os produtores brasileiros, principalmente de soja.

Perito disse que parte dos terrenos que o Governo adquirirá será comprada de fazendeiros brasileiros.

Além disso, Lugo anunciou que os órgãos de segurança protegerão a próxima colheita de soja perante o aumento das ameaças de invasões de fazendas por parte de grupos sem-terra, informou hoje a imprensa local.

"A lei será aplicada a todos, sejam grandes ou pequenos proprietários, empresários e pequenos produtores", expressou o presidente paraguaio, que destacou que, a partir da próxima semana, será aumentado o contingente de policiais que foram enviados a San Pedro para proteger as estâncias. EFE rg/wr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.