Paraguai a horas da eleição que poderá mudar história do país

O Paraguai está neste sábado a menos de 24 horas de uma eleição presidencial na qual a esquerda, representada pelo ex-bispo Fernando Lugo, tem pela primeira vez a possibilidade real de vencer e tirar do poder o Partido Colorado, há 60 anos no poder, incluindo os 35 da ditadura de Alfredo Stroessner (1954-1989).

AFP |

Lugo, favorito nas pesquisas, parece convencido de sua vitória no domingo. Ele diz temer que haja fraude na votação, hipótese que já foi denunciada por vários setores da oposição durante toda a campanha.

"Não acredito em eventuais cenários de violência. Estou convencido de que o domingo será um dia tranqüilo" e que "vamos ganhar", afirmou o ex-bispo na sexta-feira em uma coletiva de imprensa, na qual evitou associar sua imagem à de algum dos caudilhos esquerdistas da América Latina.

O longo histórico paraguaio de ditaduras, complôs e tentativas de golpe é o principal motivo para explicar a presença de centenas de observadores internacionais em Assunção, incluindo os enviados da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais (IFES), cuja missão é liderada pelo ex-presidente colombiano Andrés Pastrana.

De acordo com as últimas pesquisas de intenção de voto, Lugo tem 34% das preferências, seguido pelo ex-general Lino Oviedo (29%) e pela candidata governista, Blanca Ovelar (28,5%), ex-ministra da Educação do atual presidente Nicanor Duarte e primeira mulher a disputar a presidência no Paraguai

Ao longo da semana, Duarte insistiu a respeito da presença de "agitadores estrangeiros" no país, vindos principalmente da Venezuela, do Equador e da Colômbia. Na sexta-feira, o presidente afirmou que nem o governo nem "nenhum observador" pode "garantir seu comportamento", mas se negou a apresentar provas de sua acusação.

"Ao povo digo que venha votar com tranqüilidade, evitemos os atos de violência e as provocações se existirem", limitou-se a dizer.

Oviedo, por sua vez, declarou-se convencido de seu triunfo no domingo.

"Percorri quase todos os povoados e distritos do país e confio plenamente em nossa vitória", disse o ex-general, candidato pelo partido União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace).

Enquanto isso, centenas de paraguaios continuam voltando da Argentina para participar do pleito de domingo. Porta-vozes da APC de Lugo informaram que milhares de paraguaios residentes no país vizinho estão viajando para votar.

pz/ap/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG