Para UE, eleições no Sudão não se ajustaram ao padrão internacional

Cartum, 17 abr (EFE).- A chefe da missão de observação eleitoral no Sudão da União Europeia (UE), Veronique de Keyser, disse hoje que as eleições do país, realizadas entre os dias 11 e 15 de abril, não se ajustaram aos padrões internacionais.

EFE |

"As eleições gerais sudanesas enfrentaram muitas dificuldades para poderem ser consideradas um processo eleitoral conforme os padrões mundiais", ressaltou a responsável europeia, em entrevista coletiva em Cartum.

No entanto, destacou que "o passo dado (com a realização do pleito) é decisivo para seguir com a aplicação do acordo de paz com o sul do país".

Este acordo, assinado entre o Governo e o Exército Popular de Libertação do Sudão em 2005, pôs fim a uma guerra de 20 anos entre o sul cristão e o norte árabe e muçulmano.

O acordo de paz contempla um referendo sobre a possível separação do sul.

Por outra parte, Veronique destacou que a presença de observadores locais nas eleições no Sudão "são um indício do desejo de impulsionar uma mudança democrática" no país.

As eleições presidenciais e parlamentares realizadas na semana passada em nível nacional e provincial, as primeiras pluripartidárias em 24 anos, foram marcadas por erros técnicos e pelo boicote das principais formações políticas opositoras. EFE az/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG