crise profunda - Mundo - iG" /

Para Rússia, Ucrânia na Otan traria crise profunda

Funcionários do governo e parlamentares da Rússia fizeram ressalvas quanto o possível ingresso da Ucrânia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Para as autoridades russas, a medida causaria uma crise profunda nas relações entre Moscou e Kiev.

Agência Estado |

Os comentários foram feitos depois de o presidente norte-americano, George W. Bush, ter reafirmado seu apoio à entrada da Ucrânia na aliança. A Otan deve discutir o ingresso da Ucrânia e de outra nação do antigo bloco soviético, a Geórgia, no encontro desta semana em Bucareste, na Romênia.

Durante uma audiência parlamentar, o vice-ministro russo de Relações Exteriores, Grigory Karasin, afirmou que "a entrada da Ucrânia na Otan iniciaria uma crise profunda nas relações" entre os dois países. Karasin não mencionou qual ação específica Moscou tomaria, mas alguns parlamentares sugeriram que a Rússia poderia cancelar o Tratado de Amizade firmado com a Ucrânia. O acordo é um documento-chave da era pós-soviética e delineia a fronteira entre as duas nações.

Karasin também afirmou que o ingresso da Ucrânia na aliança prejudicaria a relação da Rússia com o Ocidente. O pedido ucraniano é apoiado pelos Estados Unidos, pelo Canadá e por vários países do centro e do oeste europeu. A Alemanha, a França e algumas outras nações se opõem à medida, pois acreditam que isso pioraria a relação com Moscou. A Otan toma esse tipo de decisão por consenso.

"A expansão da Otan nas fronteiras da Rússia é inaceitável para nós e faremos tudo para evitá-la", disse o presidente da Câmara dos Deputados russa, Boris Gryzlov. Segundo ele, vários ucranianos se opõem ao ingresso na aliança. Pesquisas mostram que metade da população ucraniana é contra a entrada do país na Otan.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG