Para Peru, Morales está equivocado em disputa marítima com Chile

LIMA (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, tem uma percepção equivocada quando afirma que uma disputa sobre limites de território marítimo entre o Peru e o Chile afetaria uma das soluções para a reivindicação da Bolívia de uma saída soberana para o Oceano Pacífico, disse o chanceler peruano nesta terça-feira. O Peru acionou a Corte Internacional de Justiça de Haia para fixar seus limites marítimos com o Chile, embora o governo de Santiago alegue que eles já estão definidos.

Reuters |

Morales disse na segunda-feira que a disputa é um dos obstáculos que a Bolívia enfrenta em seus esforços para recuperar um acesso ao Pacífico, que perdeu para o Chile em uma guerra no século 19, na qual o Peru também participou.

"Creio que é uma percepção equivocada, nós informamos o governo boliviano com antecedência sobre a apresentação do pedido", disse a jornalistas o ministro de Relações Exteriores, José Antonio García Belaunde, após ir ao Congresso para uma sessão legislativa.

"O pedido tem a ver com uma aspiração do Peru, com uma defesa dos interesses do Peru, não tem nada a ver com negociação bilateral, este é um tema Peru-Chile, não é Peru-Bolívia-Chile e o tema da saída para o mar da Bolívia é um tema entre Chile e Bolívia", acrescentou.

O Chile acredita não ter questões limítrofes pendentes com o Peru e que a fronteira comum é uma linha paralela sobre as águas do Oceano Pacífico o que, para Santiago, foi ratificado em tratados de 1952 e 1954.

No entanto, o Peru afirma que esses acordos foram apenas convênios para definir atividade pesqueira na fronteira e argumenta que a fronteira marítima deveria considerar uma linha equidistante entre ambos os países.

Analistas e ex-chanceleres bolivianos advertiram recentemente que se o Peru alcançar o objetivo de ampliar sua soberania marítima deixaria quase nenhum direito sobre o Pacífico o território que eventualmente passaria a ser da Bolívia.

O Chile tem que consultar o Peru sobre uma eventual cessão de território à Bolívia para uma saída para o mar, caso ela seja feita pela região de Arica, no norte do Chile, área que pertenceu ao Peru até a "Guerra do Pacífico" no século 19.

(Reportagem de Marco Aquino)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG