Para Paris Hilton, comprar é defender a economia

A herdeira americana Paris Hilton se manifestou nesta quarta-feira em defesa da economia e declarou que, fazendo grandes compras, ela apóia o sistema nestes tempos de crise.

AFP |

Em Sydney, onde está sendo organizada uma recepção para a festa do Ano Novo, a herdeira da rede de hotéis Hilton, de 27 anos, foi criticada nesta semana por ter gastado 5.560 dólares australianos (US$ 3.844) num acesso de loucura de compras de 40 minutos.

As organizações de caridade locais a acusaram de um excesso indecente.

"Estou na Austrália. Eu acho que é importante ajudar, vocês sabem, a economia, aqui como em todo o mundo", defendeu-se nesta quarta-feira ao falar com jornalistas.

"E que mal tem em fazer um pouco de compras. É o Ano Novo e preciso de um vestido para o réveillon", acrescentou.

A primeira-ministra trabalhista, Julia Gillard, interrogada sobre a febre consumista de Paris Hilton em entrevista à imprensa terça-feira, parabenizou a moça por considerar a Austrália um destino de moda e de compra.

"Eu ouvi dizer que um responsável político disse isso", declarou Paris Hilton. "Achei muito gentil e é verdade", acrescentou.

Paris Hilton receberá 100.000 dólares australianos por sua participação na recepção de Ano Novo em Sydney.

Leia mais sobre Paris Hilton

    Leia tudo sobre: paris hilton

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG