Para ONU, bloqueio a Gaza põe saúde da população em risco

Jerusalém - O bloqueio que Israel impõe à Faixa de Gaza há mais de três anos representa um perigo para a saúde da população e para a manutenção dos serviços médicos, adverte um relatório do coordenador de Assuntos Humanitários da ONU.

EFE |

"O bloqueio da faixa põe em risco a saúde da população de Gaza e atrapalha o funcionamento dos sistemas de saúde", diz o documento, divulgado no marco do aniversário do final da guerra que Israel e o movimento islamita Hamas mantiveram no ano passado durante 22 dias.

"As Agências da ONU e a Associação de Agências para o Desenvolvimento Internacional (AIDA), que reúne 809 ONGs destacam o impacto do bloqueio a Gaza na saúde da população e nos serviços de saúde, e pedem a abertura imediata das entradas da faixa", indica o texto.

Israel impôs um primeiro bloqueio a Gaza em junho de 2006, após a captura do soldado Gilad Shalit por três milícias palestinas - entre elas a do Hamas -, e o endureceu um ano depois quando os islamitas expulsaram da faixa o movimento rival Fatah e as forças da Autoridade Nacional Palestina (ANP).

O coordenador para os Direitos Humanos da ONU, Max Gaylard, afirma que o bloqueio "põe em risco a saúde de 1,4 milhões de pessoas em Gaza, e está causando uma progressiva deterioração dos fatores sociais, econômicos e ambientais da saúde".

Outro impacto do bloqueio, destaca o relatório, é econômico. Um "virtual colapso com um crescimento do desemprego e da pobreza, que terá efeitos adversos em longo prazo na saúde mental e física da população".

Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gazaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG