Para Mubarak, é a hora certa para paz entre árabes e Israel

WASHINGTON - A reafirmação da liderança dos Estados Unidos no Oriente Médio, pelo presidente norte-americano Barack Obama, oferece uma rara oportunidade para a paz entre Israel e os palestinos, disse o presidente do Egito, Hosni Mubarak.

Reuters |

Em um comentário para o Wall Street Journal, nesta sexta-feira, Mubarak afirmou que Obama quer assumir a liderança em busca da paz e que o mundo árabe vai atuar de forma recíproca.

"Uma definição histórica está por ser alcançada, que daria aos palestinos seu Estado e sua liberdade após a ocupação e que presentearia Israel com o reconhecimento e a segurança para viver em paz", escreveu Mubarak.

"O Egito está pronto para aproveitar o momento, e eu estou confiante de que o mundo árabe fará o mesmo", acrescentou.

O Departamento de Estado norte-americano recebeu de forma positiva os comentários de Mubarak, e afirmou que o governo Obama está totalmente comprometido com o trabalho com o Egito e outros países para alcançar um amplo acordo de paz no Oriente Médio.

"Para que essa visão se torne uma realidade, todos os lados da região precisam fazer sua parte, incluindo os países árabes", disse o porta-voz do Departamento, Ian Kelly.

O governo Bush quis esperar até os últimos anos no cargo para fazer algum esforço coordenado pela paz entre israelenses e palestinos, e foi criticado por muitos árabes por fazer pouco e muito tarde.

O enviado de Obama para o Oriente Médio, George Mitchell, viajou quatro vezes para a região, neste ano, em uma tentativa de reacender as negociações de paz, interrompidas após a invasão da Faixa de Gaza - controlada pelo Hamas - por Israel, em dezembro.

Mais cedo nesta semana, Mitchell estava otimista com a preparação de conversas profundas para um futuro breve, mesmo com o grande obstáculo representado pela polêmica sobre a expansão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia, ocupada desde a guerra de 1967 entre árabes e israelenses.

"A expansão sem trégua dos assentamentos israelenses, que erodiu seriamente a perspectiva de uma solução biestatal, precisa parar, junto com o fechamento de Gaza", comentou Mubarak, em referência ao bloqueio de Gaza por Israel.

O Egito tem tentado patrocinar um acordo entre a Autoridade Palestina, liderada pelo grupo Fatah, e o Hamas. Mubarak afirmou que os palestinos precisam superar suas divisões para alcançar o Estado aspirado.

Ele disse que se Israel dar "passos sérios" pela paz com os palestinos, o mundo árabe fará o mesmo.



Leia mais sobre Oriente Médio

    Leia tudo sobre: egitoisraelobamaoriente médiopalestinosárabes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG