Um ministro israelense considerou nesta sexta-feira abominável o roubo da frase Arbeit macht frei (O trabalho nos torna livres, em alemão) situado no portal de entrada do campo de concentração e extermínio nazista de Auschwitz-Birkenau (sul da Polônia).

"Foi um ato abominável que remete à profanação e que constitui um novo testemunho do ódio e da violência contra os judeus", disse Sylvan Shalom, ministro do Desenvolvimento Regional.

O Memorial do Holocausto em Jerusalém (Yad Veshem) também manifestou sua indignação.

"Este ato constitui uma verdadeira declaração de guerra, cometido por indivíduos cuja identidade desconhecemos, embora suponho que tenham sido neonazistas movidos pelo ódio contra os estrangeiros", disse o presidente do Memorial, Avner Shalev.

ms/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.