Para Irã, soldados estrangeiros não melhoram segurança da região

Por Hossein Jaseb e Fredrik Dahl TEERÃ (Reuters) - O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad atacou a presença de tropas estrangeiras na região em encontro neste domingo com os colegas do Paquistão e Afeganistão sobre o combate ao terrorismo e outros problemas de segurança.

Reuters |

Em comentários separados, o líder supremo da República Islâmica, aiatolá Ali Khamenei, disse a Hamid Karzai, do Afeganistão, e a Asif Ali Zardari, do Paquistão, que os Estados Unidos são odiados pelas pessoas da região.

O primeiro encontro do tipo entre os três países vizinhos, que terminou com promessas de cooperação mas sem o anúncio de medidas específicas, ocorreu em meio à dificuldade de Paquistão e Afeganistão para conter a insurgência do Taleban em seus territórios.

Irã e Paquistão fazem fronteira com o Afeganistão e têm bastante interesse na estabilidade do país pelo impacto do crescente mercado de drogas e dos milhões de refugiados após décadas de violência.

Ainda que sejam inimigos de longa data do Irã, os Estados Unidos também estão pressionando por uma maior aproximação regional contra a presença cada vez mais forte dos militantes ligados ao Taleban no Afeganistão, uma das áreas onde Washington tenta engajar Teerã.

"Se pudermos salvar o Paquistão e o Afeganistão desses problemas, do extremismo... então esses encontros trilaterais terão sentido", disse Karzai, presidente do Afeganistão, em comentários transmitidos pela rede anglófona iraniana Press TV. "Os problemas vêm de nós mesmos", disse.

Mas Ahmadinejad, que normalmente lança farpas contra o Ocidente, criticou a intervenção externa na região "por outros que são estrangeiros aos países e à cultura dos nossos países."

Em referência clara às dezenas de milhares de soldados dos Estados Unidos e principalmente da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão e no Iraque, ele disse que os países estão buscando seus próprios interesses.

Os Estados Unidos estão levando milhares de novos soldados ao Afeganistão neste ano para tentar reverter o avanço do ressurgente Taleban, particularmente no sudeste do país.

"Ainda que a presença de forças estrangeiras na nossa região seja sob o pretexto de estabelecer segurança... ela não foi de muita ajuda para o estabelecimento de uma segurança permanente e de um crescimento político e econômico", disse Ahmadinejad.

Khamenei, maior autoridade do Irã, disse mais tarde a Karzai e a Zardari que a interferência externa é um dos principais problemas da região.

"Os Estados Unidos... são muito odiados pelas pessoas da nossa região", afirmou, segundo a agência oficial de notícias IRNA.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG