Para Hillary, Venezuela mina liberdades e prejudica países vizinhos

Brasília, 3 mar (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou hoje em Brasília que o Governo da Venezuela mina as liberdades pouco a pouco e que dessa maneira prejudica seus vizinhos e os próprios venezuelanos.

EFE |

Em entrevista coletiva concedida junto com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, Hillary também garantiu que os Estados Unidos "jamais tiveram participação alguma em atividades contra a Venezuela nem contra qualquer venezuelano".

Nesta semana, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez afirmou que os EUA estariam por trás da denúncia de um juiz espanhol que diz ter indícios de que Caracas intermediou contatos entre a organização terrorista ETA e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Hillary encontrou com Chávez em Montevidéu durante a posse do novo presidente uruguaio, José Mujica, e disse que ainda não está "familiarizada" com o processo aberto pelo juiz da Audiência Nacional espanhola Eloy Velasco.

No entanto, insistiu que o Governo de Chávez tem "algumas atitudes prejudiciais" e declarou que os EUA apenas desejam que "tenha início um processo para a restituição das liberdades de expressão, políticas e econômicas" na Venezuela.

Segundo Hillary, os EUA "gostariam que a Venezuela olhasse um pouco mais para o sul e siga o exemplo do Brasil ou Chile, países com sucesso" na economia e na redução da pobreza, com plenas liberdades democráticas.

Nesse sentido, Amorim disse que "exatamente porque queremos que a Venezuela olhe mais para o sul", o país foi convidado a fazer parte do Mercosul. EFE ed/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG