Para governo do Chile, número de mortos não deve crescer muito

SANTIAGO (Reuters) - O número de mortos em decorrência do terremoto que atingiu o Chile na madrugada deste sábado não deve subir acentuadamente em relação às estimativas atuais, de acordo com uma autoridade do Escritório Nacional de Emergências. O presidente eleito, Sebastian Piñera, disse mais cedo que pelo menos 122 pessoas morreram.

Reuters |

A autoridade do escritório afirmou ainda que seriam necessários pelo menos três dias para dimensionar os danos causados pelo tremor de magnitude 8,8 que abalou o país.

(Reportagem de Helen Popper)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG