O governo dos Estados Unidos descarta, por enquanto, a possibilidade de que a queda de um avião de passageiros no rio Hudson, ocorrida nesta quinta-feira em Nova York, tenha sido um ato terrorista.


Laura Brown, porta-voz da Administração Federal de Aviação (FAA), disse que testemunhas afirmam ter visto o avião se chocar com uma revoada de pássaros. "No momento, não temos nenhum indício de que o que ocorreu foi qualquer outra coisa além de um acidente", afirmou.

O presidente da empresa US Airways, Doug Parker, disse que é prematuro especular as causas do acidente, e que a companhia irá dar total apoio às investigações.

Michael Bloomberg, prefeito de Nova York, disse que a apuração do acidente ficará a cargo do National Transportations Safety Board. "Não serão tiradas conclusões apressadas", afirmou. "Por hora, é tudo especulação."

Acidente

Um avião da US Airways caiu no rio Hudson, em Nova York, nesta quinta-feira, cerca de três minutos após ter decolado do aeroporto de LaGuardia em direção a Charlotte, na Carolina do Norte. Segundo a empresa, 150 passageiros e 5 tripulantes estavam a bordo. Todos foram resgatados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.