Para George Soros, crise financeira está longe do fim

O megainvestidor húngaro naturalizado americano George Soros disse em entrevista à BBC que a crise no sistema financeiro mundial ainda está longe do fim. Ainda não estamos saindo da tempestade, na verdade, estamos entrando nela, disse investidor.

BBC Brasil |

Soros classificou a situação econômica atual como precária, citando a quebra do banco de investimentos Lehman Brothers, anunciada na última segunda-feira.

"Com certeza, outros bancos ainda vão quebrar, mas talvez nenhum tão grande quanto o Lehman", disse.

O investidor afirmou que ainda é cedo para avaliar se o governo dos Estados Unidos agiu de forma correta ao não intervir na crise provocada pelo pedido de concordata do banco, como aconteceu com a seguradora AIG.

"Se o sistema financeiro sobreviver, então a decisão de deixar o banco quebrar foi correta. Se houver um colapso de maiores proporções, então não", declarou.

"Uma coisa deve ficar clara, não podemos deixa o sistema financeiro colapsar, como aconteceu na década de 1930", disse Soros, que afirmou confiar que os governos não temerão em intervir caso seja necessário.

Especulação
O megainvestidor defendeu limites para a especulação financeira.

"A especulação faz parte do mercado, mas seus efeitos não são sempre benéficos".

Soros disse acreditar que o sistema financeiro global cresceu demais e que agora está encolhendo.

"Quando as coisas voltarem ao normal, o sistema financeiro não será tão lucrativo como tem sido há 25 anos".

    Leia tudo sobre: crise nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG