Para Fidel, seria ingênuo pensar que Obama pode mudar EUA

HAVANA (Reuters) - O ex-presidente cubano Fidel Castro disse que seria ingênuo pensar que as boas intenções do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, mudariam o sistema norte-americano. Fidel, que não aparece em público desde que ficou doente em julho de 2006, criticou também a cúpula de líderes do G20 que acontece em Washington neste final de semana para discutir a crise financeira global.

Reuters |

"Muitos sonham que, com uma simples mudança no comando do império, este seria mais tolerante e menos belicoso", escreveu Fidel em um artigo publicado na página oficial Cubadebate (www.cubadebate.cu).

Os governos de Cuba e dos Estados Unidos são inimigos ideológicos e se enfrentam desde a década de 1960, após a revolução de 1959.

"Não se conhece, no entanto, o pensamento mais íntimo do cidadão que tomará o comando. Seria ingênuo crer que as boas intenções de uma pessoa inteligente poderiam mudar o que séculos de interesses e egoísmo criaram", acrescentou Fidel.

(Reportagem de Rosa Tania Valdés)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG