Para FAO, ajuda internacional ao Haiti deve respeitar soberania alimentícia

Porto Príncipe, 14 mar (EFE).- O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), Jacques Diouf, disse neste domingo que a ajuda que a comunidade internacional envia ao Haiti deve respeitar a soberania alimentícia nacional.

EFE |

Diouf, que está em visita ao país caribenho, fez as declarações após um encontro informal com o presidente haitiano, René Préval, depois de o líder se reunir com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

"A comunidade internacional deve continuar ajudando o Haiti, respeitando a soberania do país com uma contribuição às infraestruturas rurais", assinalou o representante da FAO.

Jacques Diouf assegurou que levará sementes e árvores frutíferas ao Haiti. Ele lamentou que só chegou ao país 11% da ajuda agrícola prometida.

Préval, por sua vez, insistiu que se deve produzir um processo de adaptação entre a produção agrícola e o comércio nacional para evitar uma concorrência com a ajuda alimentícia internacional.

O receio da ONU e do Governo haitiano é que a ajuda internacional assuma um caráter meramente assistencialista e desestimule a produção local.

Nos primeiros dias após o grande terremoto de 12 de janeiro que devastou o Haiti, a ajuda alimentícia internacional era "essencial".

Mas agora é preciso "ajustar" e criar empregos para aumentar o poder de compra da população, disse Préval.

Préval e Diouf devem se reunir nessa segunda-feira em Porto Príncipe. EFE rc/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG