Para EUA, documentos norte-coreanos sobre programa nuclear estão completos

Washington, 13 mai (EFE).- Os documentos que a Coréia do Norte entregou na semana passada aos Estados Unidos sobre suas atividades nucleares aparentemente fornecem todos os detalhes sobre o programa de produção de plutônio na central de Yongbyon, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O responsável de Assuntos Coreanos do Departamento de Estado americano, Sung Kim, explicou à imprensa que uma revisão "muito rápida" dos documentos indicou que eles parecem trazer informações completas sobre as atividades operacionais e de produção do reator nuclear, além da planta de reprocessamento em Yongbyon.

Kim fez estas declarações após receber do governo coreano 314 volumes de documentos em sete caixas com informações sobre o programa de produção de plutônio desde 1986.

As 18.822 páginas de documentos foram entregues a Kim durante sua viagem a Pyongyang e Seul.

O responsável da diplomacia para a Coréia do Norte, que retornou aos EUA na segunda-feira, qualificou a entrega dos documentos como "um grande primeiro passo" rumo à esperada declaração norte-coreana.

As informações servirão para checar parte da declaração norte-coreana, mas Kim explicou que "precisaremos fazer uma verificação completa, inclusive ter acesso às instalações".

Segundo Kim, vários tradutores estão passando os documentos para o inglês, já que toda a informação está escrita em coreano. Apesar da grande quantidade de documentos, Kim afirmou que os analistas poderão ter um relatório preliminar dentro de duas semanas.

A próxima etapa será a "exaustiva análise" do material por especialistas dos departamentos americanos de Energia, de Defesa e de Estado.

Paralelamente, o Governo dos EUA seguiu mantendo "importantes" e "produtivas" conversas com a Coréia do Norte sobre "todos os aspectos de sua futura declaração", que será entregue à China, país que lidera a supervisão ao processo de desnuclearização.

A declaração do regime norte-coreano está pendente desde o final de 2007, quando deveria ter sido entregue como parte do acordo de desmantelamento nuclear selado em 2005, nas conversas de seis lados que envolveram as duas Coréias, Rússia, Japão, China e Estados Unidos.

Até o momento, Pyongyang completou oito das onze atividades de desmantelamento estipuladas com os cinco países negociadores.

Entretanto, os EUA desejam que o ritmo "se acelere um pouco", segundo Kim.

Os EUA consideram que Pyongyang mostrou boa vontade ao entregar a Kim a primeira parte de documentos sobre suas atividades nucleares.

Desta forma, cumpriu sua promessa de facilitar o acesso às informações no processo de desnuclearização.

Por isso, o secretário de Estado adjunto para a Ásia, Christopher Hill, responsável dos EUA nas negociações nucleares, poderia retomar "provavelmente na próxima semana" as conversas de seis lados, estagnadas desde o ano passado, devido ao atraso da declaração norte-coreana.

Durante sua visita a Pyongyang, Kim e o Governo norte-coreano não falaram sobre a questão da usina nuclear síria. No entanto, as autoridades norte-coreanas expressaram seu interesse na retirada da Coréia do Norte da lista de países patrocinadores do terrorismo. EFE cai/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG