Para China críticas estrangeiras a julgamento de dissidente são interferências

A China denunciou nesta quinta-feira como interferências grosseiras as críticas de governos estrangeiros contra o julgamento por subversão contra o dissidente Liu Xiaobo.

AFP |

"Alguns representantes das embaixadas de alguns países na China divulgaram comunicados que representam interferências grosseiras nos assuntos judiciais internos", afirmou a porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Jiang Yu.

"Expressamos nosso grande descontentamento. Pedimos aos países em questão que respeitem a soberania judicial da China e parem de interferir nos asuntos internos chineses", acrescentou.

Liu Xiaobo, 53 anos, foi julgado por ser um dos autores da "Carta 08", publicada em 2008 e assinada por mais de 10.000 pessoas que pediram mais democracia no país.

O veredito deve ser anunciado na sexta-feira.

Liu já ficou detido de 1989 a 1991 pelo envolvimento no movimento democrático da Praça Tiananmen (Paz Celestial) de Pequim e de 1996 a 1999 em um "campo de reeducação pelo trabalho", por ter pedido a libertação de opositores.

O julgamento foi criticado por Estados Unidos, União Europeia, organizações de defesa dos direitos humanos e um grupo de Prêmios Nobel, que pediram a Pequim a liberdade do dissidente.

mbx-frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG