Para cardeal, pedofilia é ligada a homossexualismo, não ao celibato

A homossexualidade, e não o celibato, é a causa da pedofilia apontada por estudiosos, disse nesta segunda-feira o secretário do Vaticano, Tarcisio Bertone, na tentativa de defender a Igreja Católica, que tem sido sacudida por uma onda de denúncias de abusos a menores.

Reuters |

Em entrevista coletiva durante visita a Santiago, Bertone disse que o papa Bento 16 tomará novas medidas em relação às denúncias que abalaram a Igreja e às acusações de acobertamento que chegaram a respingar até mesmo no Sumo Pontífice.

Questionado sobre o celibato e à eliminação do voto de castidade como solução do problema dos abusos cometidos por membros do clero contra menores, Bertone argumentou que não havia demonstração disso.

"Muitos psicólogos e muitos psiquiatras demonstraram que não há relação entre o celibato e a pedofilia, mas muitos outros demonstraram que há relação entre a homossexualidade e a pedofilia", disse o cardeal.

Bertone acrescentou que a pedofilia é uma doença que "afeta a todas as categorias de pessoas e proporcionalmente, em medida menor, os sacerdotes". Ele, no entanto, reconheceu que o comportamento negativo dos religiosos "é muito grave, é escandaloso".

A Igreja Católica rejeitou as reclamações de que o papa ajudou a encobrir os abusos por parte dos sacerdotes e o Vaticano acusou a imprensa de realizar uma "desprezível campanha de difamação".

"Não queremos colocar o silenciador, mas esperamos que esta campanha termine", disse Bertone durante sua visita ao Chile, para constatar os danos provocados pelo devastador terremoto que afetou o centro-sul do país no final de fevereiro.

Leia também:

Leia mais sobre Igreja Católica

    Leia tudo sobre: igreja católica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG