evitar solução multilateral em Washington - Mundo - iG" /

Para Brasil, EUA vão evitar solução multilateral em Washington

O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta segunda-feira que os Estados Unidos devem tentar evitar soluções multilaterais que poderão ser sugeridas na reunião de chefes de Estado do G20, no próximo sábado, em Washington. A primeira hesitação dos americanos foi aceitar a convocação da reunião e eu tenho impressão de que o governo atual tenderia a evitar soluções multilaterais, porque isto implicaria mudar o FMI (Fundo Monetário Internacional), o Banco Mundial, disse o assessor em conversa com jornalistas em um hotel em Roma.

BBC Brasil |

Marco Aurélio Garcia integra a comitiva ministerial que acompanha o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em uma visita de Estado de quatro dias à Itália.

Ainda segundo o assessor da Presidência, o Brasil levará para o encontro as propostas defendidas durante a reunião dos ministros das Finanças e dos presidentes dos Bancos Centrais do G20, no fim de semana, em São Paulo.

"Nós temos que sair com um bloco de propostas razoável. Essa reunião não pode ser um traque. Tem que abrir um processo. O que o Guido (Mantega, ministro da Fazenda) nos disse ontem é que o nível de acordo com as propostas que o Brasil e outros países defenderam é muito alto".

Correlação de forças
O assessor classificou a reunião como uma "correlação de forças", e que a partir dela, é preciso ir acertando como se organizar.

"Se dessa reunião se sair com a declaração forte de alguns princípios e preparação de uma agenda, acho que vai ser um êxito".

Ainda segundo Marco Aurélio, autoridades do G20 se encontrarão para uma reunião de avaliação 100 dias após o encontro de sábado.

O secretário não confirmou um possível encontro entre o presidente Lula e o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama.

Segundo ele, o presidente terá uma agenda pesada, com reuniões na quinta e sexta-feiras com líderes como o presidente chinês, Hu Jintao, e da Argentina, Cristina Kirchner.

Lula foi recebido na manhã desta segunda-feira pelo presidente italiano, Giorgio Napolitano, em uma cerimônia no Palácio Quirinale.

Antes de fazer um pronunciamento conjunto à imprensa, Lula e Napolitano passaram mais de uma hora reunidos. Eles conversaram sobre a atual crise financeira mundial e destacaram os laços que unem Brasil e Itália.

À tarde, Lula visitou a Câmara de Deputados e foi recebido pelo presidente da Casa, Gianfranco Fini. À noite, o presidente italiano oferece um jantar de Estado para a comitiva presidencial brasileira.

Nesta terça-feira, Lula tem encontro com o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, com quem discutirá propostas de ações que serão apresentadas na reunião do G20.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG