No total, confrontos deixaram ao menos 14 mortos; ataque ocorre três semanas depois da morte de Osama bin Laden

Soldados paquistaneses retomaram o controle da base militar de Karachi, sul do Paquistão, depois de um ataque da milícia islâmica do Taleban que durou 17 horas. "A operação terminou, e a base está agora sob controle", disse Irfan ul-Haq.

Soldado paramilitar paquistanês monta guarda em grande base naval e aérea do Paquistão depois de ataques de militantes em Karachi
AFP
Soldado paramilitar paquistanês monta guarda em grande base naval e aérea do Paquistão depois de ataques de militantes em Karachi
O ministro paquistanês do Interior, Rehman Malik, anunciou a morte de pelo menos quatro militantes no ataque à base aeronaval de Karachi, uma ação iniciada às 23h locais de domingo que também resultou na morte de 10 militares. Dois militantes teriam conseguido escapar do local.

O ataque acontece exatamente três semanas depois que comandos de elite americanos mataram em 2 de maio o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden , na cidade de Abbottabad , próxima a Islamabad, em uma operação que o movimento Taleban prometeu vingar com ataques contra o Paquistão e os EUA.

Voo não tripulado

Disparos de um avião teleguiado dos EUA deixaram sete insurgentes islamitas mortos nesta segunda-feira no noroeste do Paquistão, onde esse tipo de aeronave da CIA (Agência de Inteligência dos EUA) ataca com frequência alvos da Al-Qaeda e do Taleban, informaram fontes militares paquistanesas.

Esse é o oitavo ataque de aviões teleguiados americanos desde a morte de Bin Laden. O ataque aconteceu em Mir Ali, segunda maior cidade do distrito tribal do Waziristão do Norte, reduto do Taleban.

Ataque no Afeganistão

No leste do Afeganistão, uma bomba de fabricação caseira matou nesta segunda-feira quatro soldados da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

"Quatro soldados da Isaf morreram na explosão de uma bomba de fabricação caseira no leste do Afeganistão", anunciou a Isaf em um comunicado, que não revela o local da explosão nem a nacionalidade dos soldados mortos. A Isaf deixa aos Estados envolvidos o anúncio das mortes de seus soldados.

*Com EFE e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.