Paquistão protegerá com muro sedes do Executivo e Legislativo

Islamabad, 13 out (EFE).- O Governo paquistanês ordenou a construção de um grande muro de concreto em torno da região de Islamabad, onde estão edifícios como o Parlamento, as residências do presidente e do premier e a sede da diplomacia, informou hoje à Agência Efe uma fonte oficial.

EFE |

"A idéia vinha sendo discutida há muito tempo devido aos contínuos ataques registrados na capital, mas o atentado contra o hotel Marriott foi decisivo", admitiu o porta-voz do Ministério do Interior Mukarrib Mukhtar.

A Autoridade de Desenvolvimento da Capital (CDA), organismo municipal de Islamabad, se encarregará de desenvolver o projeto, que "começará o mais rápido possível" e busca "evitar que veículos carregados com explosivos possam entrar na zona", explicou Mukhtar.

"O muro terá entre 10 e 15 quilômetros de extensão e terá pelo menos sete portas de acesso, nas quais se estabelecerá um forte dispositivo de segurança e se colocarão câmeras de vigilância e detectores" para evitar a entrada de explosivos, assinalou o porta-voz.

Segundo a agência estatal "APP", o muro pode ter cerca de 1 metro de altura e os veículos normais poderão chegar ao local apenas por uma entrada principal, amplamente vigiada.

O projeto custará cerca de 8 bilhões de rúpias (US$ 100 milhões).

EFE igb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG