Paquistão prende 7 suspeitos de tramarem atentados em Karachi

KARACHI (Reuters) - A polícia paquistanesa prendeu sete supostos militantes de um grupo islâmico sob suspeita de tramarem atentados em Karachi, maior cidade do país. Os militantes, apontados como integrantes do grupo Lashkar-e-Jhangvi (LeJ), vinculado à Al Qaeda, foram detidos no elegante bairro de Defence, onde haviam alugado um bangalô, disse na noite de domingo à Reuters o superintendente de polícia Fayyaz Khan.

Reuters |

"Todos esses militantes pertencem ao LeJ e estavam planejando um ataque a importantes prédios do governo e a altos funcionários do governo," disse Khan. "Recuperamos três jaquetas de suicidas, quatro rifles AK-47, quatro pistolas e 15 quilos de explosivos," afirmou.

A militância islâmica tem se intensificado nos últimos dois anos no Paquistão, um aliado dos EUA que tem armas nucleares. O governo reage desde abril com ofensivas militares contra redutos dos militantes no noroeste.

Karachi é a capital comercial do Paquistão, sede da principal bolsa e do Banco Central do país, além das filiais de muitas multinacionais.

Khan disse que um dos presos, Muhammad Shahzad, também esteve envolvido no planejamento de ataques contra o ex-presidente Pervez Musharraf e o ex-primeiro-ministro Shaukat Aziz.

O LeJ, que é sunita, começou cometendo ataques contra a minoria xiita, e posteriormente passou a ações mais ousadas, como o caminhão-bomba que em setembro de 2008 matou 55 pessoas no hotel Marriott, em Islamabad, segundo o governo.

No domingo, o ministro do Interior, Rehman Malik, disse à CNN que as forças de segurança desbarataram no mês passado planos para um ataque ao Parlamento. Na província do Punjab (leste), a polícia afirmou ter evitado diversos atentados suicidas contra alvos estrangeiros e contra a minoria xiita.

O chefe de polícia Usman Anwar disse que seis militantes que se preparavam para o suicídio e um coordenador deles foram detidos. Todos seria ligados ao grupo de Baitullah Mehsud, líder do Taliban local que é tido como morto após um bombardeio norte-americano em 5 de agosto.

De acordo com Anwar, um dos alvos seriam as instalações da empresa norueguesa de telecomunicações Telenor. Ele acrescentou que outros militantes estão sendo procurados.

(Reportagem de Imtiaz Shah e Asim Tanveer)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG