Paquistão: porta-voz de Musharraf desmente rumores sobre renúncia

O porta-voz do presidente paquistanês Pervez Musharraf desmentiu nesta sexta-feira os rumores sem fundamentos divulgados em jornais ocidentais de que o governante renunciaria nos próximos dias para evitar a sua destituição.

AFP |

Vários diários citaram assessores, políticos e diplomáticos segundo os quais Musharraf preparava a sua renúncia.

"Não sei de onde tiram essa informação sem fundamento", declarou à AFP o general da reserva Rashid Qureshi, principal porta-voz de Musharraf.

"Não me parece importante fazer comentários sobre essas informações. Passei vários meses ouvindo isso", acrescentou.

Os diários norte-americanos The Wall Street Journal e The New York Times, e o britânico Financial Times, indicaram que Musharraf estava preparado para renunciar, nove anos depois de tomar o poder por meio de um golpe de Estado militar.

"Musharraf não enfrentará um processo de destituição nem será julgado (...). Esperamos um importante acontecimento nas próximas 48 horas", ressaltou o Wall Street Journal, citando uma fonte não identificada.

O ex-vice-ministro da Informação no governo anterior de Musharraf e aliado do mandatário, Tariq Azim, frisou que "estão sendo realizadas negociações e muitas pessoas querem que essa questão seja resolvida de forma amistosa, sem chegar à destituição".

Na quarta-feira à noite, o chefe de Estado lançou um último apelo, pedindo a "reconciliação", em sua primeira intervenção pública desde que a coalizão do governo anunciou no dia 7 de agosto o início do procedimento de destituição.

Nenhum presidente do Paquistão foi destituído até agora.

Os líderes da coalizão disseram que estão terminando de redigir a ata de acusação contra Musharraf e é provável que a apresentem à câmara baixa na próxima segunda-feira.

jak-dk/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG