Paquistão pede que Washington pare de disparar mísseis contra seu território

O Paquistão pediu nesta sexta-feira a Washington que reconsidere sua estratégia que consiste em disparar mísseis contra suas áreas tribais, poucas horas antes do anúncio feito pelo presidente norte-americano Barack Obama de seu novo plano para o Afeganistão, que inclui o Paquistão.

AFP |

Os disparos de mísseis efetuados por aviões não tripulados norte-americanos contra as áreas tribais do noroeste do Paquistão "são uma violação da soberania do Paquistão e, definitivamente, contraproducentes", declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Abdul Basit, em um comunicado.

"É importante que o governo norte-americano leve isto em consideração em sua nova estratégia operacional. A preocupação do Paquistão foi transmitida ao governo norte-americano", acrescentou.

Pelo menos 36 mísseis norte-americanos foram disparados desde agosto de 2008 contra as áreas tribais do noroeste do Paquistão, onde, segundo Washington, talibãs e combatentes da Al-Qaeda têm bases, a partir das quais lançam ataques contra as forças estrangeiras no Afeganistão.

Cerca de 350 pessoas morreram vítimas desses disparos, insurgentes islamitas e também civis, segundo informações divulgadas pelas autoridades locais e pelas forças de segurança paquistanesas.

mmg/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG