Paquistão não extraditará para Índia suspeitos de atentados de Mumbai

O Paquistão não extraditará para a Índia as pessoas detidas recentemente dentro da investigação pelos atentados de Mumbai, mas julgará as mesmas no país caso se confirmem as suspeitas de suposto envolvimento nos ataques, anunciou o ministro das Relações Exteriores paquistanês, Shah Mehmood Qureshi.

Redação com agências internacionais |

"Estas detenções aconteceram dentro de nossa própria investigação. Mesmo se forem comprovadas as acusações contra eles, não os entregaremos à Índia", declarou o ministro em um discurso.

"Nós os julgaremos dentro da lei paquistanesa", acrescentou.

Suspeitos

No último domingo, as forças de segurança do Paquistão prenderam 15 pessoas pertencentes a uma organização de caridade islamita ligada ao grupo Lashkar-e-Taiba, grupo radical islâmico paquistanês acusado pela Índia de ter executado os atentados de Mumbai.

Entre os detidos está um importante comandante do LeT, Zaki-ur-Rehman Lajvi .

O operação foi realizada na periferia de Muzaffarabad, capital da Caxemira paquistanesa, e as detenções aconteceram após pressões internacionais para que o Paquistão agisse rapidamente.

Leia mais sobre atentados em Mumbai

    Leia tudo sobre: atentadoíndia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG