Paquistão não coloca serviço secreto sobre controle do Ministério do Interior

Islamabad, 6 ago (EFE).- O Governo do Paquistão paralisou uma norma que colocava o poderoso serviço secreto ISI sob controle do Ministério do Interior, o que faz com que continue sob comando da Defesa, informou hoje a agência oficial APP.

EFE |

O primeiro-ministro paquistanês, Yousaf Raza Gillani, ordenou ontem à noite ao Governo federal que "proceda com maiores deliberações sobre a coordenação dos esforços (dos serviços de) inteligência", informa a fonte.

A ordem do dia 26 de julho, que colocava o ISI sob controle operacional, financeiro e administrativo do Ministério do Interior, "fica em suspenso", o que faz com que a poderosa agência de espionagem continue sob comando da Defesa.

A decisão, que foi divulgada durante uma viagem de Gillani aos EUA, um país que acusou repetidamente o ISI de apoiar os insurgentes afegãos, foi questionada imediatamente por círculos políticos e militares.

No dia seguinte, um porta-voz oficial foi obrigado a afirmar que a ordem tinha sido "mal entendida", pois seu propósito era "uma maior coordenação entre o Ministério do Interior e o ISI em relação com a guerra contra o terrorismo", e que o ISI seguiria "executando suas funções sob controle do primeiro-ministro".

O porta-voz prometeu uma notificação posterior que chegou hoje, após o próprio presidente do país, Pervez Musharraf, levantar a voz contra a submissão do ISI às autoridades civis.

No último domingo, Musharraf denunciou uma "conspiração" contra o ISI, ao qual chamou de "primeira linha de defesa do Paquistão", e advertiu que "enfraquecer o ISI também debilitaria a guerra contra o terrorismo". EFE igb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG