O Paquistão mantém presos seis cidadãos alemães, incluindo uma menina de quatro anos de idade, acusando-os de tentar se unir a um grupo extremista, segundo a revista alemã Der Spiegel.

De acordo com a publicação, o grupo foi detido na fronteira com o Irã em maio deste ano.

Entre os prisioneiros está o cunhado de Munir Shuka, porta-voz do Movimento Islâmico do Uzbequistão (IMU), grupo radical ligado à Al Qaeda.

Um alemão convertido e sua mulher, de origem eritréia, também são mantidos presos com sua filha de quatro anos, de acordo com a revista.

As autoridades paquistanesas informaram que os seis afirmam ter cidadania turca e alegam ter perdido seus documentos. Sua identidade foi descoberta apenas em agosto, quando o serviço de inteligência entrou no caso.

O governo alemão tenta negociar a libertação da mulher e da criança, indica a Der Spiegel, destacando que os seis devem ser deportados para a Alemanha em breve.

hap/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.