Paquistão libera 80 estudantes e professores reféns de talibãs

O Paquistão anunciou nesta terça-feira que seu Exército resgatou 80 estudantes e professores de um colégio capturados por insurgentes talibãs, enquanto aumentava o temor de novos ataques dos rebeldes para vingar a ofensiva militar no noroeste do país.

AFP |

Uma ação do Exército permitiu liberar antes do amanhecer 71 estudantes e nove professores de um centro educacional administrado pelo Exército.

"Todos os reféns, estudantes e docentes, foram liberados em uma operação militar", afirmou à AFP Sardar Abbas Rind, o chefe da administração da cidade de Bannu (noroeste).

No entanto, Javed Iqbal Paracha, diretor do colégio, destacou que um pequeno grupo de estudantes continua desaparecido e não estava claro se os jovens continuavam retidos pelos talibãs ou haviam escapado para outra área.

Autoridades da cidade de Razmak, no Waziristão do Norte, onde fica o colégio, afirmaram que os estudantes têm entre 15 e 25 anos.

As informações que circulavam desde seu sequestro na noite de segunda-feira eram extremamente contraditórias.

A polícia afirmou em um primeiro momento que cerca de 400 alunos com mais de 15 anos e funcionários de um colégio de Razmak, que viajavam em 30 ônibus em direção a Bannu, ao leste, haviam sido sequestrados pelos talibãs. Outros policiais falavam de estudantes "desaparecidos" e em número bastante inferior.

Rapidamente, autoridades locais asseguraram na noite de segunda-feira que a maioria dos estudantes havia conseguido escapar e voltar para a zona segura.

Também nesta terça-feira, homem armados invadiram uma fábrica de Peshawar propriedade de um ministro da Província da Fronteira Noroeste, onde sequestraram oito trabalhadores e mataram um guardião que tentou reagir, informou a polícia.

Ninguém havia reivindicado até agora o ataque, mas o diretor da fábrica, Ghazanfar Bilor, o atribuiu aos talibãs.

Este tipo de incidente desperta o temor de ataques islamitas em represália às seis semanas de ofensiva do Exército paquistanês contra os talibãs no Vale do Swat.

"Onde está sendo realizada uma operação militar, este tipo de ação é comum e devemos estar preparados para estas represálias no futuro", afirmou o analista de segurança Ikram Sehgal.

A embaixada dos Estados Unidos no Paquistão advertiu a seus cidadãos que não é seguro viajar para Peshawar e ordenou a todo os funcionários que cancelem as visitas à cidade.

O Exército do Paquistão afirmou na terça-feira que suas tropas lutavam contra os talibãs no reduto de Charbagh, a 20 km da capital de Swat, Mingora, que as forças governamentais afirmaram ter arrebatado dos insurgentes no fim de semana passado.

Os Estados Unidos, que apoiam a operação contra os talibãs, enviarão quarta-feira seu emissário especial Richard Holbrooke para o Paquistão para avaliar a crise humanitária provocada pela ofensiva e se reunir com alguns dos 2,4 millones de desplazados.

sjd-sz/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG