Islamabad, 27 dez (EFE).- O Paquistão lembra hoje com vários atos e homenagens em todo o país o segundo aniversário do assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, morta em um atentado terrorista após um comício eleitoral.

Parte da cúpula do governante Partido Popular do Paquistão (PPP) se deslocou ao mausoléu de Garhi Khuda Bakhsh, em Naudero, no sul do país, onde está enterrada a ex-líder dessa legenda.

O presidente paquistanês e viúvo de Bhutto, Asif Alí Zardari, junto aos três filhos do casamento, depositou ontem oferendas florais e rezou junto a seu túmulo.

Em discurso por causa do aniversário da morte de Bhutto, Zardari declarou que "suas ideias e ideais nunca morrerão", e assegurou que o Governo do PPP trará um "mudança positiva" ao país, segundo a agência estatal "APP".

Bhutto morreu no dia 27 de dezembro de 2007 após a realização de um comício na cidade de Rawalpindi, próxima a Islamabad, em um atentado suicida que foi precedido de disparos.

As autoridades paquistanesas e a ONU ainda se encontram imersas em uma investigação sobre as circunstâncias de sua morte.

O ataque aconteceu no parque de Liaquat, onde estão centenas de pessoas para assistir a uma homenagem à ex-primeira-ministra. EFE igb/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.