Paquistão interroga suposto cérebro dos atentados de 2005 em Londres

Agentes de inteligência interrogavam nesta quinta-feira um suposto alto dirigente saudita da Al-Qaeda, detido durante uma operação conjunta das forças paquistanesas e a CIA, suspeito de ter organizado os atentados de 7 de julho de 2005 em Londres, que mataram 52 pessoas.

Redação com agências internacionais |

O indivíduo, que segundo autoridades dos serviços de segurança paquistaneses se chama Zabi ul-Taifi, foi detido com outros seis afegãos e paquistaneses suspeitos quando as forças militares invadiram um reduto insurgente na cidade de Peshawar.

Autoridades americanas e da Otan afirmam que a região noroeste do Paquistão é refúgio de muitos militantes vinculados aos talebans e à Al-Qaeda que fugiram do vizinho Afeganistão depois da invasão, em 2001, liderada pelos Estados Unidos.

"A operação foi realizada em conjunto pelo serviço de inteligência paquistanês e funcionários da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos", afirmou uma fonte dos serviços de segurança à AFP.

"O suspeito foi levado a Islamabad para ser interrogado", declarou a fonte . O suspeito era abrigado por um comandante taleban local leal a Baitullah Mehsud, que segundo o governo paquistanês foi o cérebro do assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, em 2007.

Violência

Pelo menos 15 insurgentes morreram nas últimas 24 horas em combates com as forças de segurança em uma região tribal paquistanesa fronteiriça com o Afeganistão.

"Houve ofensivas por terra, mas também por ar", disse Haider, que explicou que as forças de segurança estão avançando pelas zonas de Pandiali, Lakara e Safi, onde estão atacando refúgios e esconderijos rebeldes.

Segundo dados recolhidos pela Efe, nessa operação quase 200 insurgentes e 19 militares morreram nos choques registrados em Mohmand.

*Com informações da EFE e AFP

Leia mais sobre: Paquistão



    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG