Paquistão eleva a mais de 2,3 mi número de deslocados pelo conflito

ISLAMABAD - As autoridades paquistanesas elevaram para mais de 2,3 milhões o número de pessoas que deixaram suas casas no norte do Paquistão desde que o Exército lançou a grande ofensiva contra os talebans, informou hoje à Agência Efe uma fonte da ONU.

EFE |

A porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) no Paquistão, Ariane Rummery, disse que o governo da província da Fronteira noroeste comunicou a seu organismo que já há 2,383 milhões de deslocados registrados, frente ao último número de 1,74 milhão.

"Este dado ainda não é definitivo, temos que verificá-lo", esclareceu Rummery, que disse que o número poderia ser menor, mas admitiu que o êxodo de civis continua.

Desde o início da ofensiva contra os talibãs no Vale de Swat e distritos vizinhos, o Acnur se coordenou com as autoridades para determinar o número de deslocados e oferecer ajuda humanitária.

O primeiro-ministro paquistanês, Yousuf Raza Gillani, lançou hoje uma nova chamada à comunidade internacional para que destine recursos para aliviar o sofrimento dos deslocados.

Durante uma reunião com um grupo de senadores americanos em visita ao país, Gillani ressaltou que, "apesar de o Paquistão estar travando sua própria guerra contra o terrorismo, o mundo será o maior beneficiado deste êxito", segundo um comunicado emitido por seu escritório.

O Exército paquistanês prosseguiu hoje com sua ofensiva, concentrada em Swat, e afirmou ter matado outros quatro insurgentes e tomado o controle de um reduto dos fundamentalistas situado em uma importante zona fronteiriça entre o conflituoso vale e o distrito de Manshera.

Em comunicado, o comando militar explicou também que, nas últimas 24 horas, as tropas detiveram oito fundamentalistas e foram registrados alguns confrontos em diferentes áreas de Swat, entre elas Mingora, a principal localidade do vale, com cerca de 300 mil habitantes, a maioria dos quais já fugiu.

Nos confrontos, também ficaram feridos seis soldados, segundo o Exército.

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG