Tamanho do texto

O governo do Paquistão e os combatentes islâmicos pró-Talibã chegaram a um acordo de paz no Vale de Swat (noroeste), após vários meses de violência, anunciou à AFP um membro do governo provincial.

As conversações que resultaram no acordo de paz são diferentes das realizadas há dois meses pelo novo governo de Islamabad com os talibãs paquistaneses próximos da rede Al-Qaeda nas zonas tribais.

Esses últimos contatos ainda não chegaram a nenhum resultado, mas já provocaram críticas dos Estados Unidos.

Segundo o acordo alcançado nesta quarta-feira, o Exército paquistanês irá se retirar progressivamente do Vale de Swat, na Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), e a lei islâmica será aplicada de forma mais ampla que até agora, explicou o ministro da NWFP, Bashir Bilur.

Em contrapartida, os islamitas se comprometeram a fechar os campos de treinamento e encerrar os atentados realizados principalmente contra o Exército e a Polícia, segundo Bilur.

O Exército lançou uma grande ofensiva em outubro de 2007 para expulsar de Swat os militantes leais a Maulana Fazlullah, um sacerdote radical pró-talibã que realizou uma ofensiva para reforçar a aplicação da lei islâmica (sharia) no Vale.

str-rj/fb