Reunião de uma hora entre os premiês dos dois países ocorreu nas Maldivas, nos bastidores de uma cúpula dos líderes do sul da Ásia

A Índia e o Paquistão saudaram o progresso em suas relações diplomáticas nesta quinta-feira, prometendo começar "um novo capítulo" em sua conturbada relação na próxima rodada de negociações formais de paz.

Leia também: Índia e Paquistão vão retomar negociação de paz

Primeiro-ministro paquistanês Yousuf Raza Gilani, cumprimenta seu colega indiano Manmohan Singh
AP
Primeiro-ministro paquistanês Yousuf Raza Gilani, cumprimenta seu colega indiano Manmohan Singh

"Perdemos muito tempo em debates ásperos no passado. Chegou o momento de escrever um novo capítulo em nossas relações", disse o primeiro-ministro indiano Manmohan Singh a jornalistas após se reunir com o premiê paquistanês, Yusuf Raza Gilani nos bastidores de uma cúpula para líderes do sul da Ásia.

A paz duradoura entre os dois países rivais é vista como essencial para a estabilidade no sul da Ásia, já que os dois possuem armas nucleares. O sucesso do diálogo também é tido como necessário para ajudar na complicada transição do Afeganistão , visto que as forças de combate lideradas pela Otan planejam sua retirada militar do país em 2014 .

Singh e Gilani se reuniram durante uma hora em uma ilha turística nas Maldivas encerrando um recente desacordo entre os dois países. Em uma casa de praia de um luxuoso hotel, os dois primeiros-ministros discutiram de “forma aberta” todos os assuntos de sua complexa agenda bilateral, como a distribuição de água, o terrorismo e os litígios territoriais de Sir Creek e Siachén.

O Paquistão decidiu ceder a seu gigantesco vizinho termos comerciais favoráveis e suspender as enormes restrições segundo as quais a maioria dos produtos deve ser comercializada por meio de um terceiro país.

"Revisamos o diálogo com a expectativa que todos os assuntos que infestaram de problemas as relações possam ser discutidos com toda a sinceridade que ambas as partes possam trazer à mesa", disse Singh.

Gilani também se mostrou positivo com o encontro. “A reunião foi boa. Espero que a próxima rodada de consultas seja mais construtiva e abra um novo capítulo nas relações entre ambos os países", comentou o chefe do Governo paquistanês

A Índia e o Paquistão se enfrentaram em três guerras desde a independência da Grã-Bretanha em 1947. Os dois países retomaram o diálogo de paz em fevereiro, o qual estava interrompido depois de um ataque de militantes baseados no Paquistão contra a cidade indiana de Mumbai , em 2008.

Durante o encontro desta quinta-feira, ficou acertada também que uma comissão judiciária paquistanesa irá à Índia investigar os atentados contra Mumbai, nos quais morreram 166 pessoas.

Singh e Gilani estiveram acompanhados por seus ministros das Relações Exteriores, S. M. Krishna e Rabbani Khar, além do conselheiro indiano de segurança, Shivshankar Menon, e do ministro do Interior paquistanês, Rehman Malik.

A Índia reivindica ao Paquistão uma ação mais decidida contra grupos terroristas que operam em seu território e realizam atentados contra a Índia. Singh voltou a insistir que o Paquistão deve levar aos tribunais os autores do ataque de Mumbai, mas ao mesmo tempo apostou em deixar para trás a “era das acusações”, segundo revelou seu secretário de Relações Exteriores, Ranjan Mithai.

Com EFE e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.