Islamabad, 23 dez (EFE).- O ministro paquistanês de Interior, Rehman Malik, disse hoje que o país não tem nenhum registro de Ajmal Amir Qasab, único terrorista capturado vivo nos atentados da cidade indiana de Mumbai.

Malik deu esta declaração em entrevista coletiva em Islamabad junto ao secretário-geral da Interpol, Ronald K. Noble, que visita o Paquistão.

Em nota, o Ministério de Assuntos Exteriores do Paquistão disse ontem que o Governo indiano enviou à legação diplomática do Paquistão em Nova Délhi uma carta de uma pessoa chamada Mohamad Ajmal Mohamad Amir Qasab, que diz ser paquistanês, e cujo conteúdo está sendo examinado.

De acordo com a nota, Qasab solicitou "a presença de um advogado e um encontro com a embaixada do Paquistão".

No entanto, fontes do Ministério dos Exteriores citadas pela televisão disseram que a carta não é prova suficiente de que o capturado, que segue sob custódia da Polícia de Mumbai, seja paquistanês.

As autoridades de Islamabad reiteraram que a Índia ainda não lhes forneceu nenhuma informação concreta sobre os atentados em Mumbai - sua capital financeira - no fim de novembro, apesar de o Paquistão ter demonstrado disposição a cooperar na investigação.

O próprio secretário-geral da Interpol disse que a Índia não colaborou nem com seu organismo, ao não fornecer nenhum tipo de informação para poder colaborar nas pesquisas e ajudar a apontar os responsáveis.

O Governo indiano divulgou os supostos nomes e locais de origem - todos no Paquistão- dos outros nove terroristas que participaram do crime. Eles acabaram mortos pelas forças de segurança indianas.

De acordo com sua versão, todos os terroristas pertenciam à organização Lashkar-e-Toiba (LeT), que luta pela anexação da Caxemira ao Paquistão. EFE igb/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.