Paquistão diz que só agirá contra talibãs quando atacado

Islamabad, 29 jun (EFE).- O Exército paquistanês assegurou hoje que toda operação contra a insurgência talibã nas regiões tribais do país, entre elas a lançada no Waziristão do Sul, são destinadas unicamente contra os grupos fundamentalistas que cometam atentados no Paquistão.

EFE |

"Nosso acordo (com as tropas estrangeiras no Afeganistão) é claro. Nós atuamos em nosso território contra aqueles grupos que nos atacam", declarou o porta-voz do Exército, Athar Abbas, em coletiva de imprensa em Islamabad.

Abbas ressaltou que o Paquistão já tem desdobrados entre 40 e 50 mil soldados na fronteira com o Afeganistão para "controlar" e "evitar" o fluxo de insurgentes e exigiu ao país vizinho e às tropas estrangeiras mais empenho.

"Sinto que (as autoridades afegãs) não têm o controle de 60% ou 70% de seu território. É seu problema", destacou o porta-voz militar.

Abbas disse que a operação na demarcação do Waziristão do Sul, que se encontra em "fase preparatória", está dirigida exclusivamente contra o líder dos talibãs paquistaneses, Baitulá Mehsud, e sua rede insurgente, responsável pela maioria de atentados recentes no Paquistão.

"A operação não é contra uma tribo ou uma região determinada. É contra Baitulá Mehsud", reiterou.

Abbas descartou assim atuar contra outros destacados líderes talibãs como o mulá Nazir, com base no Waziristão do Sul, e Hafiz Gül Bahadur, que opera no vizinho Waziristão do Norte, e se limitou a dizer que as forças de segurança paquistaneses atuarão só em caso de serem atacadas.

Mehsud, Nazir e Bahadur selaram no começo do ano uma aliança estratégica e reafirmaram seu compromisso em seguir lutando contra as forças estrangeiras no Afeganistão. EFE igb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG