Paquistão diz que lucro do ópio é usado para financiar atentados terroristas

Islamabad, 19 (EFE).- O presidente do Paquistão, Asif Alí Zardari, denunciou hoje que os lucros do cultivo do ópio no Afeganistão são usados para financiar atentados terroristas no Paquistão e pediu a colaboração dos Estados Unidos.

EFE |

Segundo a emissora "Geo TV", Zardari se manifestou desta forma durante uma reunião com o subsecretário de Estado americano para Ásia Central e do Sul, Richard Boucher, que está em Islamabad.

Além disso, o governante transmitiu a Boucher a necessidade de frear a entrada de insurgentes nas regiões tribais paquistaneses desde o Afeganistão, acrescentou a fonte.

A luta contra o terrorismo concentrou as conversas entre os dois, que também discutiram outros aspectos das relações bilaterais entre EUA e Paquistão.

Além disso, o presidente paquistanês assegurou a Boucher que o Governo do país está desenvolvendo uma estratégia antiterrorista completa e pediu aos EUA compreensão com a realidade do Paquistão.

Por outro lado, Boucher transmitiu o apoio americano a Islamabad e anunciou que seu Governo fornecerá ao Paquistão armamento tecnologicamente avançado para lutar contra os insurgentes.

O Parlamento do Paquistão debate há uma semana a portas fechadas a estratégia a ser seguida na luta contra o terrorismo.

O governante Partido Popular do Paquistão (PPP), liderado por Zardari, reiterou nos últimos dias sua intenção de voltar a negociar com aqueles que renunciarem à violência.

"Temos nossa própria estratégia e vamos aplicar nossa própria política contra o terrorismo. Não seguimos o ditado de (o ex-presidente, Pervez) Musharraf", declarou recentemente o senador do PPP Raza Rabbani.

O Governo chegou a assinar alguns acordos de paz com o movimento que reúne os talibãs paquistaneses, que foram frustrados pouco depois com o recrudescimento da violência na Província da Fronteira Noroeste e nas áreas tribais fronteiriças com o Afeganistão. EFE igb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG