Islamabad, 10 ago (EFE).- A rede terrorista Al Qaeda está tentando intervir na designação do novo líder dos talibãs no Paquistão, após a suposta morte de Baitullah Mehsud, disse hoje o ministro do Interior paquistanês, Rehman Malik.

Em declarações à rede privada "Dawn", Malik admitiu que ainda não há "prova científica" da morte de Mehsud, como o cadáver ou restos de DNA, mas várias fontes informaram de seu falecimento, entre elas o principal serviço secreto do Paquistão (ISI).

Segundo Malik, também chegaram informações ao Governo sobre a morte vindas do médico que tratava Mehsud na zona, à qual as tropas governamentais não têm acesso, antes do ataque com mísseis de um avião não-tripulado americano que teria matado o líder talibã, no último dia 5.

Desde sexta-feira passada, as autoridades paquistanesas afirmam que o líder do movimento Tehrik-e-Taliban Pakistan morreu neste ataque americano, cometido na região tribal do Waziristão do Sul, reduto de Mehsud.

O Governo está à espera de encontrar o cadáver do líder talibã para fazer um anúncio oficial de sua morte, apesar de fontes de inteligência paquistanesas e americanas afirmarem à imprensa que possuem informação crível sobre a morte.

No entanto, três importantes líderes e porta-vozes do Tehrik-e-Taliban Pakistan, que reúne os grupos talibãs paquistaneses, disseram que Mehsud está um pouco doente, mas vivo e que está escondido em um lugar desconhecido, por motivos de segurança, mas nenhum ofereceu provas disso.

Segundo fontes de inteligência citadas pela imprensa paquistanesa, um destes porta-vozes, Hakimullah Mehsud, primo e estreito colaborador de Baitullah, morreu no sábado passado em uma disputa dentro do movimento insurgente em torno da sucessão na liderança do Tehrik-e-Taliban Pakistan.

A imprensa especulou os nomes de Hakimullah, Waliur Rehman e Azmatullah como possíveis candidatos para substituir Baitullah Mehsud, e deu conta da realização de uma "shura" (reunião) para decidir a sucessão, durante a qual aconteceu um enfrentamento entre os dois primeiros.

"Temos informações de que dois deles (Hakimullah e Rehman) provavelmente morreram ou ficaram feridos. Houve reuniões da cúpula talibã, não está claro se para designar o sucessor de Mehsud, mas há dados indicando que estão sendo muito acaloradas", disse à Agência Efe uma fonte do ISI.

Segundo a fonte, "estes choques dão mais credibilidade ainda" à divulgada morte do líder talibã.

O jornal paquistanês "The News" afirmou hoje, citando fontes de segurança e da insurgência, que a disputa na cúpula do Tehrik-e-Taliban Pakistan tem raiz no controle de fundos de aproximadamente 3 bilhões de rúpias (US$ 37,5 milhões) em armas, munição e outros.

Apesar destes supostos problemas internos, os fundamentalistas atacaram hoje um posto de controle das forças de segurança na região tribal do Waziristão do Norte, mas as tropas responderam à ação e mataram três insurgentes, segundo uma fonte oficial citada pela "Dawn". EFE igb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.