Paquistão condena viúvas e filhas de Bin Laden à prisão

Parentes de líder terrorista terão de cumprir mais 14 dias de prisão e pagar multa por entrar e viver ilegalmente no país

iG São Paulo |

Um tribunal do Paquistão condenou nesta segunda-feira à prisão três viúvas e duas filhas do líder terrorista Osama bin Laden , morto em uma operação americana no país em maio de 2011. As cinco mulheres, detidas desde a morte do criador da Al-Qaeda , foram sentenciadas a 45 dias de prisão e multas de US$ 110 cada (R$ 200) por entrar e viver ilegalmente em território paquistanês.

Leia também: Paquistão encontra suposta penúltima casa de Bin Laden

AP
Zakariya Ahmad Abd Al-Fattah, cunhado de Bin Laden, deixa a casa onde a família do líder terrorista cumpre prisão domiciliar em Islamabad, no Paquistão

Como as mulheres foram formalmente presas em 3 de março, na prática elas só precisam cumprir mais 14 dias de prisão. Depois, elas serão deportadas para seus países de origem junto com seus filhos, informou o advogado das viúvas, Mohammed Amir Khalil. As multas já foram pagas e não deve haver recurso contra a sentença.

Duas das viúvas são sauditas e a outra é iemenita. Segundo o advogado, o Iêmen já aceitou receber a mulher no país, mas as negociações com a Arábia Saudita ainda estão acontecendo. Em 1994, os sauditas confiscaram a cidadania de Bin Laden por causa de seus ataques contra a família real.

A viúva iemenita de Bin Laden é Amal Ahmed Abdel-Fatah al-Sada, 30 anos, a mais jovem e supostamente a mulher preferida do líder terrorista. Depoimentos de Amal, divulgados na semana passada, ofereceram novos detalhes sobre a vida da família.

Segundo Amal, Bin Laden teve cinco casas e quatro filhos no período em que ficou foragido, entre os ataques do 11 de Setembro de 2001 e sua morte em 2011. Ela disse ter se casado com ele no Afeganistão, antes dos atentados da Al-Qaeda nos EUA.

Depois dos ataques, a família se “dispersou” e ela se escondeu durante oito ou nove meses em Karachi no Paquistão.

O casal se reencontrou em Peshawar, onde permaneceu por cerca de três anos, mudando-se depois para o vilarejo de Swat e para a cidade de Haripur, numa casa de dois andares que as agencias de inteligência paquistanesas acreditam ter encontrado. Em 2005, Bin Laden e as três esposas passaram a viver em uma mansão em Abbottabad onde o terrorista foi morto.

A viúva do terrorista disse que teve dois filhos – Aasia, nascida em 2003, e Ibrahim, em 2004 - em hospitais mantidos pelo governo do país. Nas duas ocasiões ela permaneceu por apenas “duas ou três horas” no local e usou identidades falsas. Na mansão onde Bin Laden foi morto, Amal teve mais dois bebês – Zainab, em 2006, e Hussein, em 2008.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: bin ladenpaquistãoeuaal-qaedaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG