Paquistão condena atentado contra Embaixada indiana em Cabul

Islamabad, 7 jul (EFE).- O Governo do Paquistão condenou o atentado suicida perpetrado hoje contra a Embaixada indiana em Cabul, e se recusou a comentar as acusações afegãs que culpam os serviços secretos paquistaneses pelo ocorrido.

EFE |

"O Paquistão condena o terrorismo em todas as suas formas e manifestações, já que esta ameaça nega a essência dos valores humanos", disse o ministro de Exteriores do país, Shah Mehmood Qureshi, em comunicado oficial.

O ministro expressou ainda suas condolências às famílias afetadas.

O ataque, perpetrado em frente à legação diplomática indiana na capital afegã, matou pelo menos 40 pessoas, entre elas cinco membros do corpo diplomático, segundo confirmou em Nova Délhi o ministro de Exteriores indiano, Pranab Mukherjee.

O Ministério do Interior afegão culpou os serviços regionais de inteligência pelo atentado, em uma aparente alusão ao Paquistão.

O presidente afegão, Hamid Karzai, também condenou o atentado, que considerou "obra de países que não desejam boas relações entre Afeganistão e a Índia".

O porta-voz de Exteriores paquistanês, Mohammad Sadiq, disse à agência Efe que "o Governo do Paquistão não pensa em comentar este tipo de insinuações".

"Manifestamos nossa repulsa e não temos nada a dizer a respeito das declarações provenientes do Governo afegão", precisou Sadiq. EFE igb/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG