Paquistão conclui relatório sobre Mumbai

Islamabad, 31 jan (EFE).- As autoridades do Paquistão concluíram o relatório preliminar sobre o ataque terrorista à cidade indiana de Mumbai, que matou 179 pessoas em novembro de 2008 e afirmaram que, em breve, compartilharão as conclusões com a Índia, que atribui o ataque a paquistaneses, informou hoje a imprensa local.

EFE |

O comitê especial da Agência Federal de Investigação (FIA) entregou ontem o relatório, elaborado nas últimas duas semanas, ao Ministério do Interior, que o repassou ao departamento de Justiça para que seja revisado.

"Garanto à comunidade internacional que os responsáveis pelo ataque de Mumbai serão levados à Justiça", afirmou o ministro do Interior, Rehman Malik.

As autoridades indianas acusaram o grupo caxemiriano Lashkar-e-Toiba (LeT) pelo massacre.

Paquistão prendeu centenas de membros do LeT e da organização "beneficente" Jamaat-ud-Dawa (JuD), que supostamente lhe serve como fachada, enquanto fechou sedes e campos de treinamento das duas organizações.

Apesar da insistência de Nova Délhi por extradições, Islamabad reiterou que qualquer suspeito detido no país será julgado no Paquistão de acordo sua legislação.

As duas potências nucleares do sul da Ásia protagonizaram uma nova crise por causa do atentado, sobre o qual o Governo indiano chegou a afirmar que deve ter contado com apoio de agências oficiais paquistaneses, acusação que o Paquistão nega. EFE igb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG