Paquistão bane YouTube e Facebook por 'blasfêmia'

Desde a noite de quarta-feira, autoridades bloqueiam acesso a mais de 450 páginas na internet por "crescente conteúdo blasfemo"

iG São Paulo |

AFP
Islâmicos paquistaneses protestam contra publicação de caricaturas do Profeta Maomé no Facebook
As autoridades paquistanesas ampliaram o banimento a redes sociais online nesta quinta-feira, bloqueando o acesso ao YouTube e a cerca de 450 páginas individuais pelo que descreveu como "crescente conteúdo blasfemo", informou a Autoridade de Telecomunicações do Paquistão (PTA, na sigla em inglês), o organismo regulador do setor.

Em declarações divulgadas pela rede de televisão privada "Express TV", o porta-voz da PTA, Khurram Ali Mehran, explicou que desde a noite de quarta-feira foram bloqueadas mais de 450 páginas da internet no país.

Segundo a fonte, a decisão foi tomada após várias queixas de usuários sobre a presença de conteúdos ofensivos ao Islã nas páginas em questão. O governo do Paquistão tinha ordenado na quarta-feira, após uma sentença judicial, o bloqueio temporário do acesso à rede social Facebook por causa de um concurso de caricaturas do profeta Maomé que acontece no portal.

Em sua notificação oficial, o Ministério de Tecnologias de Informação do país destacou que foram bloqueadas "todas as páginas que mostrem caricaturas do Santo Profeta". Em 2008, as autoridades paquistanesas já tinham ordenado o fechamento temporário do YouTube.

*Com EFE e New York Times

    Leia tudo sobre: PaquistãoFacebookYouTubecaricaturasMaomé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG