Paquistão acusa grupo Lashkar-e-Jhangvi de atentado contra Marriott

Islamabad, 22 dez (EFE) - O ministro do Interior do Paquistão, Rehman Malik, acusou hoje o grupo terrorista paquistanês Lashkar-e-Jhangvi (LeJ) de planejar o atentado contra o hotel Marriott de Islamabad, ocorrido no dia 20 de setembro, no qual 54 pessoas morreram. Malik compareceu em uma sessão do Parlamento para informar das conclusões da investigação do atentado, segundo a emissora privada Dawn TV. Supostamente ligado à Al Qaeda, o LeJ é uma organização radical sunita fundada em 1996 na região de Punjab, leste do Paquistão, e ilegalizada pelas autoridades em 2001. As autoridades do Paquistão acusaram o LeJ do seqüestro e assassinato em 2002 do jornalista americano Daniel Pearl, entre outros atentados. O ministro assegurou hoje que o caminhão-bomba carregado com 600 quilogramas de explosivos que foi usado no ataque ao Marriott foi preparado na cidade de Jhang para ser levado depois a Islamabad através de Murree, ao nordeste da capital paquistanesa. Malik acrescentou que dois adolescentes foram detidos na localidade de Toba Tek Singh, em Punjab, por ligação com o ataque. Temos detalhes das ligações telefônicas. Os meninos que ajudaram foram detidos, ressaltou o ministro, que lembrou que quatro pessoas continuam detidas e passarão à disposição judicial por implicação no ataque.

EFE |

EFE igb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG